Pacientes da terceira idade ganham investimento em tecnologia para cuidar da saúde

Publicidade

banner topo matérias 728x90px

O investimento em tecnologias tem contribuído para a melhoria da assistência e da qualidade de vida de pacientes na MedSênior, operadora da saúde exclusiva da terceira idade. A inovação está presente no hospital, nas clínicas, nos programas de prevenção e nos sistemas que apoiam o
trabalho da equipe médica.

O Hospital MedSênior, por exemplo, a primeira unidade geriátrica privada do Brasil, utiliza inteligência artificial. Além de adotar um prontuário eletrônico, que reúne as informações do paciente e permite o acesso aos dados de forma rápida e segura, de modo a direcionar o tratamento, possui um sistema de checagem beira-leito que monitora o estado de saúde da pessoa internada em tempo real.

Por meio da tecnologia também é possível que pacientes e familiares tenham encontros virtuais. Para isso, tablets são conectados às smart TVs dos apartamentos e de cada box de UTI, facilitando o contato dos idosos com o mundo exterior.

A vice-presidente de Operações da MedSênior, Priscila Valentim, ressalta que o hospital – que completa um ano de funcionamento em julho – foi projetado para ser o mais moderno do Estado. “Reunimos em um só lugar tecnologia de última geração e exames e cirurgias de alta complexidade. Queremos um hospital cada vez mais móbile, com menos computadores e mais tablets, dando agilidade ao atendimento”, afirma.

Segundo Priscila, a MedSênior foi o primeiro hospital privado do Estado a realizar os próprios testes de sorologia e PCR para detecção da Covid-19, sem que as amostras sejam enviadas para análise e validação externa.

O equipamento de PCR, instalado no laboratório do hospital, é de alta tecnologia e importado do Canadá, fazendo com que a liberação dos resultados dos exames ocorra em até duas horas. Além dela, todas as outras máquinas utilizadas no laboratório são importadas e de alta tecnologia, atendendo a demandas de todos os setores do hospital.

Pacientes usarão pulseiras eletrônicas

O projeto de Tecnologia da Informação da MedSênior foi desenvolvido para funcionar 24 horas, mesmo em momentos críticos, e oferecer acesso à informação em alta velocidade. Não há risco dos equipamentos ficarem fora do ar, trazendo segurança e agilidade para o dia a dia da operadora de saúde.

O sistema implantado também permite que, durante a pandemia, os colaboradores em home office executem suas atividades como se estivessem dentro da empresa.

O próximo passo será a utilização de pulseiras eletrônicas nos pacientes internados. Uma tecnologia que utiliza rádios de Wi-Fi permitirá que os idosos sejam monitorados, captando, por exemplo, se eles se movimentaram no leito e até mesmo se estão prestes a caírem da cama.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui