segunda-feira, 24 de junho de 2024 / 21:01
InícioNoticiasGuarapari e o poder paralelo do 18° vereador

banner topo matérias 728x90px

Guarapari e o poder paralelo do 18° vereador

Política em um minuto – 03/11/2022

A Câmara de Vereadores de Guarapari possui 17 vereadores eleitos pelo voto da população. São parlamentares que representam cada um, uma região ou segmento do município. Para atender a população os vereadores possuem dois prédios. Um fica na Rua Getúlio Vargas, onde funciona a sede administrativa e o plenário da casa. Nesse prédio também está à disposição dos vereadores uma sala de reuniões onde eles se reúnem para debater os projetos do executivos e dos próprios parlamentares.

No outro prédio, na Rua Joaquim da Silva Lima, funcionam os gabinetes dos vereadores. Popularmente conhecido como Anexo da câmara, esse prédio é utilizado para questões do mandato de cada vereador e atendimento à população. Em ambos os prédios, a população é sempre recebida com um cafezinho e um copo com água.

Anexo noturno

Mesmo com esses dois prédios disponíveis e pagos pelo contribuinte, tem chamado atenção o fato dos vereadores se reunirem com certa frequência em outro prédio. Distante dos olhos da população, sempre à noite, a sala de reuniões alternativa dos vereadores recebeu o apelido de anexo noturno. Nesse local a população não possui acesso. Diferente do cafezinho magro oferecido nos prédios oficiais, no anexo noturno os vereadores são recebidos com taças de vinho, cerveja, churrasco e comida japonesa.

Esse “Anexo noturno” funciona dentro de uma fábrica de perfumes e, no local, os vereadores são recebidos por um personagem que ganha protagonismo em Guarapari pela influência que exerce no parlamento e no executivo municipal. Identificado como Kiko pelas fontes ouvidas, esse empresário é consultado regularmente pelo prefeito e pelos vereadores sobre os rumos da cidade. O que se sabe sobre esse empresário é que ele veio de Minas, mas é natural de São Paulo. Kiko já foi homenageado com o Guará de Ouro, oferecido pela Câmara de Vereados.

E o Kiko tenho a ver com isso?

A questão que precisa ser respondida pelos vereadores e pelo prefeito é por que essas reuniões acontecem fora dos prédios oficiais e distantes dos olhares da população? Não se pode ser encarado como normal um empresário que possui interesses particulares participar de reuniões onde o futuro da cidade é debatido. Se o empresário Kiko deseja participar e opinar em questões administrativas no município, o caminho republicano é integrar um dos conselhos e se manifestar publicamente. Não parece republicano um empresário sentar-se à cabeceira de uma mesa, na qual autoridades eleitas pelo voto da população debatem o futuro da cidade. Ou será que ele recebeu o título de 18° vereador e esqueceram de informar para a população?

E o vinho?

Alguém acha correto vereadores degustarem vinhos enquanto debatem questões do município? E mesmo que a população concorde, quem paga a conta do vinho? Quem paga a picanha? A Heineken? A comida japonesa? O que está por trás desses agrados oferecidos aos parlamentares? São só esses ou existem outros agrados nada republicanos que os vereadores encontram na fábrica de perfume?

Para registro

Nas reuniões no SINDICIG, na CDL, na AHTG e outras instituições que cuidam dos interesses dos empresários da cidade os vereadores também são recebidos com tantas regalias?

A reflexão que fica é: “quem contrata a banda escolhe a música” e nessa festa quem dança é o povo.

banner lateral 300x300px 2

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

banner lateral 300x300px 2

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

banner lateral 300x300px 3