Serra: obra de revitalização da avenida Abido Saadi inclui asfalto novo, calçada cidadã, sinalização semafórica e iluminação

Publicidade

banner topo matérias 728x90px

A revitalização da avenida Abido Saadi, que é a denominação de um trecho da ES-010 que compreende o trevo de Manguinhos até a praia de Capuba, na Serra, começou na última segunda (7) com a interdição do canteiro central. Mais de 60 mil pessoas moram na região e serão impactadas com a obra. Orçada em R$ 49 milhões, a obra será realizada em 7 Km da via e inclui: asfalto novo, duplicação, colocação de pontos de ônibus, calçada cidadã, sinalização semafórica, iluminação e trânsito humanizado.

O diretor-presidente do Departamento de Edificações e de Rodovias do Espírito Santo (DER-ES), Luiz Cesar Maretto, explicou que uma reunião será realizada na semana que vem, no canteiro de obras, entre as ruas Aymorés e Santa Rita, no Bairro das Laranjeiras, em Jacaraípe, para que a empresa Cinco Estrelas, responsável pelo investimento, apresente o cronograma e o projeto executivo aos membros da comissão, no formato de uma audiência pública prevista no contrato.

“O comércio foi notificado. A empresa começou a obra pela drenagem, no eixo central. As vias de dentro foram as primeiras a serem interditadas. As vias externas, onde fica o comércio [as que ficam na beirada da calçada], vão ficar abertas. Será feita toda a rede de drenagem. Vamos cortar e tapar. Em alguns momentos, poderemos trabalhar após às 22h. Para o fechamento do trânsito, fizemos uma solicitação à prefeitura, informando as vias que serão fechadas e as datas”, explicou Maretto.

COMISSÃO
 
Uma comissão popular, formada por membros da sociedade civil organizada, foi criada pela Frente Parlamentar das Parcerias Público-Privadas (PPP), presidida na Assembleia Legislativa pelo deputado estadual Bruno Lamas (PSB), para acompanhar o andamento da obra, assim como a do Contorno de Jacaraípe.

“Quando compartilhamos, damos transparência e envolvemos as pessoas. É bom para quem executa e para a população em geral. Aprovamos uma comissão de acompanhamento com membros da Câmara, dos movimentos populares, dos moradores e dos comerciantes. Enfim, pessoas que conhecem a história da cidade, da orla. O intuito é construir, com menor impacto possível para as pessoas. Estamos ansiosos para conhecer o projeto”, declarou Bruno, que há seis anos cobra a realização da obra.

Para fortalecer o controle social, a comissão conta ainda com a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Serra; a Associação Comercial e Empresarial de Jacaraípe (Acejac); a Assembleia Municipal do Orçamento (AMO); a Federação das Associações de Moradores da Serra (Fams); a Federação das Associações de Moradores e Movimentos Populares do Espírito Santo (Famopes); a Associação dos Empresários da Serra (Ases); e a Câmara da Serra, dentre outros.

Os representantes populares e da sociedade civil da Serra manifestaram satisfação com o início das obras, afirmando que os benefícios alcançarão os habitantes, o comércio, o turismo e o fluxo de veículos na Grande Jacaraípe.

Informações: Assessoria

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui