Polícia prende seis pessoas envolvidas em duplo homicídio na Serra

Publicidade

banner topo matérias 728x90px

A equipe da Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM) prendeu, na última terça-feira (01), o suspeito, 33 anos, de ser o mandante de um duplo homicídio de um casal, que ocorreu no dia 14 de maio do ano passado, no bairro Feu Rosa, na Serra e também é apontado como autor do sequestro do gerente de um banco e a namorada, em Ibiraçu, em 06 de julho de 2020, no norte do Espírito Santo. Na mesma ação, mais cinco suspeitos foram detidos por envolvimento com o tráfico de drogas em Feu Rosa. Foram apreendidos rádios comunicadores, drogas e material para o embalo de drogas.

A operação ocorreu no Morro do Cabral, em Vitória, e foi realizada em conjunto com o Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (NOTAer) e a Diretoria de Operações Táticas (Dot), da Secretaria da Justiça (Sejus). Os resultados foram divulgados em entrevista coletiva, na manhã desta quarta-feira (02), na Chefatura de Polícia Civil.

O chefe do Departamento de Homicídios e Proteção de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Romualdo Gianordoli, disse que o detido já morou nos estados de São Paulo e Minas Gerais. “Ele é um dos criminosos mais procurados do Estado. Tem mandado de prisão por duplo homicídio, extorsão mediante sequestro e tráfico internacional de drogas em Minas Gerais. Graças a uma operação muito bem planejada pela DHPM, conseguimos êxito na prisão. É possível ver como ele era articulado e variava nos empreendimentos criminosos. O indivíduo já esteve escondido em São Paulo, Minas e aqui no Estado no Morro do Cabral, em Vitória”, disse o delegado. 

“Quando chegamos ao morro, já de início, conseguimos visualizar três olheiros e abordá-los antes que eles pudessem passar as informações para a associação criminosa da qual fazem parte. Na sequência, com a chegada do (helicóptero) Harpia, saiu mais um indivíduo de dentro de um quintal na posse de um radiocomunicador e nós o interceptamos”, relatou a titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), delegada Raffaella Aguiar.

O representante do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (NOTAer) nesta operação, o delegado Arthur Bogoni, pontuou que o Harpia foi empregado para evitar que suspeitos tentassem fugir pela área de vegetação. “A aeronave conseguiu visualizar toda a área de atuação da polícia e monitorar possível fuga de suspeitos”, contou.

No imóvel, foram apreendidos crack, cocaína e uma substância similar à lança-perfume, além de material usado para embalo de entorpecentes. Todo o material foi apreendido e as pessoas foram conduzidas para o DHPP. Na unidade policial, todos foram autuados por tráfico e associação para o tráfico de drogas. 

Em continuação às diligências, os policiais foram até a casa onde o alvo estaria. No imóvel, foram apreendidos crack, cocaína e uma substância similar à lança-perfume, além de material usado para embalo de entorpecentes. Todo o material foi apreendido e as pessoas foram conduzidas para o DHPP. Na unidade policial, todos foram autuados por tráfico e associação para o tráfico de drogas. 

Fonte: Assessoria Polícia Civil

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui