Página Inicial / Empreendedorismo / Sinfônica do ES apresenta sinfonia inspirada na Teoria dos Quatro Temperamentos, de Hipócrates

Sinfônica do ES apresenta sinfonia inspirada na Teoria dos Quatro Temperamentos, de Hipócrates

Secult-helder-trefzger-by-kristina-goncalves
Secult-Helder Trefzger-by Kristina Gonçalves

Nas próximas quarta (25) e quinta-feira (26), a Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses) dará continuidade às suas apresentações, com as Séries Pré-estreia e Concertos Sinfônicos. A regência ficará a cargo do Maestro Titular, Helder Trefzger. Os ingressos, sempre a preços populares (R$2 inteira e R$1 meia), podem ser adquiridos com antecedência na bilheteria do Teatro Carlos Gomes (tel. (27) 3132-8399).

Abrindo o programa a Sinfonia n.º 2, do principal compositor dinamarquês, Carl Nielsen, que viveu entre 1865 e 1931. Composta entre 1901 e 1902, a obra foi inspirada na Teoria dos Quatro Temperamentos, desenvolvida por Hipócrates, no ano 400 a.C. De acordo com o Maestro Helder Trefzger, “cada movimento da obra tem relação com um dos temperamentos humanos descritos por Hipócrates, ou seja, o colérico, o fleumático, o melancólico e o sanguíneo”.

Completando o programa, o célebre Concerto para piano e orquestra n.º 1, do compositor russo Tchaikovsky. A obra é famosa por seu tema introdutório, tocado pelas trompas e também por suas belas melodias.

Solista da noite

  

Conhecido por seu perceptivo lirismo e sobriedade técnica, o pianista convidado Aleyson Scopel percorre as mais importantes salas de concerto do Brasil, frequentemente à frente de suas principais orquestras, incluindo as Sinfônicas Brasileira, de São Paulo, Bahia, Porto Alegre, Espírito Santo e as Filarmônicas de Minas Gerais e do Amazonas.

No exterior, foi solista convidado da Springfield Symphony e da New England Conservatory Symphony Orchestra nos Estados Unidos, da Wollongong Symphony na Austrália, e da Orquestra do Norte de Portugal. Apresentou‐se ainda como camerista e recitalista nos Estados Unidos, Europa e Ásia. Salas de concerto incluem Carnegie (Weill) Hall (Nove Iorque), Jordan Hall (Boston), Steinway Hall (Londres), Palau de la música catalana e Reial Cercle Artístic (Barcelona), Conservatório de Atenas (Grécia), Sala São Paulo, Sala Cecília Meireles e Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Detentor dos prêmios Nelson Freire e Magda Tagliaferro, foi laureado em diversos concursos internacionais, tais como William Kapell, Villa-­Lobos, Corpus Christi, Kingsville e Southern Highlands International Piano Competition.

Além das obras‐primas dos grandes compositores do repertório pianístico, o solista convidado possui ávido interesse por peças contemporâneas que traduzem a modernidade idiomática do instrumento. No momento, dedica-se a gravar para o selo Grand Piano, da Naxos, a integral das Cartas Celestes do compositor brasileiro Almeida Prado, que dedicou o XV volume da série a Scopel.

Os primeiros acordes de Aleyson ao piano foram com 14 anos de idade, para pouco depois formar-­se com a mais alta distinção no New England Conservatory of Music, em Boston. Estudou na classe da professora Patricia Zander e recebeu da instituição o prêmio Blüthner. No Brasil, prosseguiu orientado por Celia Ottoni e Myrian Dauelsberg. http://www.aleysonscopel.com/

Fonte: Secult-ES

TekNow



Sobre Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display