sexta-feira, 23 de fevereiro de 2024 / 09:55
InícioNoticiasHoffmann fora dos planos, Tribunal de Contas terá uma mulher como conselheira

banner topo matérias 728x90px

Hoffmann fora dos planos, Tribunal de Contas terá uma mulher como conselheira

Política em um minuto – 08/03/2023

O ex-homem forte do governo Casagrande, Tyago Hoffmann (PSB) tinha tudo planejado quando decidiu se candidatar a deputado estadual. No papel, o então secretário de Governo de Casagrande travou um plano de “carreira” que o levaria até seu objetivo principal: uma vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCES). O plano seguia 5 etapas:

1a etapa: sair da Secretaria de Governo. Na percepção de Hoffmann a secretaria de Governo desgastava sua relação com a Assembleia Legislativa (Ales) e pouco contribuía para ajudá-lo a se eleger deputado por ser uma Secretaria que pouco “entregava” a população.

2a etapa: assumir uma Secretaria com entregas. A pasta escolhida foi a de Ciência e Tecnologia, fortalecida pela junção com a Secretaria de Desenvolvimento (Sectides). Dessa forma, Hoffmann teria um leque de possibilidades para se eleger. O carro chefe escolhido foi o programa Qualificar-ES, que foi amplamente utilizado para entrar nos municípios e beneficiar cabos eleitorais.

3a etapa: ser o deputado estadual mais votado do PSB. Utilizando a estrutura da  Sectides, Hoffmann conseguiu abrir frentes em mais de 30 municípios capixabas e com isso se elegeu deputado estadual com 32.123 votos, se tornando o mais votado do PSB.

4a etapa: ser presidente da Ales. Eleito deputado estadual pelo partido do governador, o ex-secretário de Governo poderia utilizar o nome de Casagrande para formar um bloco de deputados capaz de levá-lo ao posto de presidente da Assembleia Legislativa, o que não ocorreu.

5a etapa: ser indicado ao TCES. Se fosse eleito presidente da Ales, seria natural a indicação para a vaga de conselheiro do Tribunal de Contas, que será aberta em 2024. A expectativa de Hoffmann era que o governador jogaria pesado para que os deputados o indicassem ao Tribunal de Contas e, assim abrissem espaço na Ales para outro aliado de Casagrande, o suplente Bruno Lamas.

Onde Hoffmann errou?

O plano de Tyago Hoffmann começou a dar errado quando ainda era secretário de Governo e esqueceu que para dar certo precisava ser amigo dos deputados. A verdade é que, os agora colegas de plenário, nunca receberam de Tyago Hoffmann a atenção que gostariam e, por isso, decidiram que outro deputado seria presidente da Ales. A relação desgastada de Hoffmann com seus colegas também foi agravada durante a campanha. Vários deputados reclamavam que Tyago Hoffmann usava a estrutura de governo para entrar nas suas bases e tirar apoiadores dos deputados.

Ajustando o rumo

O deputado Tyago Hoffmann teve seus planos interrompidos, mas uma fonte no governo confirmou que o deputado ainda sonha com o Tribunal de Contas. Para conquistar seu objetivo, Hoffmann estaria adotando um discurso menos agressivo com os deputados. Um colega de plenário confidenciou que em uma reunião entre os pares, Hoffmann teria dito que é aliado do governador, mas: “Casagrande é Casagrande e eu sou Tyago Hoffmann”. Essa fala seria uma clara tentativa de se afastar dos conflitos e se aproximar dos colegas.

Tyaguinho paz e amor

Segundo informações de deputados da base de Casagrande, a mudança de comportamento não será suficiente para garantir a Tyago Hoffmann um lugar no TCES. No governo existe um lobby para que o próximo conselheiro seja na verdade uma conselheira. Aliados palacianos querem uma mulher no Tribunal de Contas, o que não acontece desde Mariazinha Vellozo Lucas. Se esse Lobby prosperar, os planos de Tyago Hoffmann terão que mudar outra vez.

Quem é a favorita para ocupar a vaga no TCES?

A próxima vaga será aberta em março de 2024, mês propício para um gesto de valorização da mulher. Se tudo caminhar conforme alguns palacianos desejam o nome que ganha força é o da ex-prefeita de Alto Rio Novo e atual secretária de Governo Emanuela Pedroso. A ex-braço direito de Gilson Daniel (Podemos) está cada vez mais forte no governo e seria um nome de confiança do Governador para representar duas bandeiras de Casagrande: Emanuelle Pedroso seria uma mulher no TCES com perfil técnico. Casagrande poderia homenagear as mulheres no mês de março de 2024 indicando ao TCES uma técnica com serviços prestados.

Mas, a lista de possíveis indicadas ao TCES não para em Emanuela. Segundo informações, há outros dois nomes como plano B para Casagrande. Um dos nomes seria de uma deputada e o outro de uma antiga aliada do governador. 

E Hoffmann?

Como todo bom estrategista, o deputado possui um plano B. Nos bastidores, o que se comenta é que Hofmann poderia ser o nome de Casagrande para ocupar a vaga de vice-governador na sucessão em 2026, mas isso vamos tratar em outra coluna.

banner lateral 300x300px 2

banner lateral 300x300px 2

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

banner lateral 300x300px 3