quarta-feira, 19 de junho de 2024 / 01:49
InícioNoticiasAtuação de pistolagem no ES é motivada por obras públicas e lavagem...

banner topo matérias 728x90px

Atuação de pistolagem no ES é motivada por obras públicas e lavagem de dinheiro

Política em um minuto – 03/06/2024

Matadores de aluguel são contratados por empresários que disputam obras públicas no Espírito Santo. Desde 2021, o estado presencia a atuação de pistoleiros contratados por empresários que decidiram resolver pendências “à bala”. Tratados como casos isolados, o Realidade Capixaba conseguiu informações que ligam cinco atentados nesse período.

As motivações vão de disputa por licitações em obras públicas até um complexo esquema de lavagem de dinheiro. Os cinco casos aqui apresentados ainda estão em aberto na Polícia Civil do Espírito Santo (PCES). Uma fonte revelou a nossa equipe que a Polícia Federal (PF) acompanha as investigações por conta da lavagem de dinheiro.

Essa é a primeira vez que os casos são apresentados de forma correlacionada. Todos os cinco casos possuem elementos em comum: pistoleiros contratados para resolver pendências. O caso mais emblemático foi do empresário Thiago Nossa.

Caso 1: Thiago Nossa

O empresário da Construção Civil de Guarapari, Thiago Simões Nossa, foi assassinado por dois pistoleiros em seu escritório, em novembro de 2021. Segundo informações da Delegacia de Homicídios de Guarapari (DHPP), os pistoleiros vieram da Bahia e foram contratados pelo empresário Valdecir que também é da Construção Civil.

Ainda segundo o inquérito da PCES, Thiago cobrava repasses da obra do Mercado do Agricultor de Guarapari no montante de 500 mil reais. A licitação foi vencida pela empresa do Valdecir, mas a execução de parte da obra foi realizada pela empresa de Thiago, o que é proibido por lei.

O escândalo provocou a queda do então Secretário Municipal de Obras Odivam Ferreira dos Santos (Divandilson). Informações passadas por uma fonte dão conta de que Thiago e Valdecir também movimentavam altas somas de recursos com a compra e vendas de automóveis.

Passados três anos, a justiça ainda não determinou a prisão dos envolvidos e Odivam está de volta à cena política com pré-candidato a vereador pelo MDB. Thiago Nossa também executava obras no Serviço Social do Comércio (Sesc-ES) e no município de Alfredo Chaves através do Departamento de Edificações e de Rodovias do Espírito Santo (DER-ES).

Veja vídeo:

Caso 2: Em Vila Velha, empresário é baleado ao sair da empresa

Em setembro de 2022, um construtor foi baleado por um pistoleiro quando parou seu carro em um semáforo na Praia de Itaparica, Vila Velha. Um vídeo de câmera de segurança mostra quando a caminhonete dirigida pelo empresário para no sinal e, em seguida, o pistoleiro que estava numa motocicleta, para atrás da caminhonete. Logo após, o pistoleiro desce da moto e efetua vários disparos contra o empresário.

Segundo informações, o empresário baleado sobreviveu e hoje vive nos Estados Unidos com a família. Na época do atentado, a suspeita era de que o crime seria motivado por uma disputa por obras públicas. A vítima possuía contratos com a prefeitura de Vila Velha e sua empresa, a VLZ, era suspeita de realizar obras no apartamento da Secretaria Municipal de Obras em troca de favorecimentos. O caso permanece aberto para investigação. Veja vídeo:

Caso 3: Empresário de Guarapari reage a suposto atentado

Segundo informações apuradas, o empresário que é proprietário da concessionária onde ocorreu o atentado estava em desacordo comercial com outro empresário e, havia marcado um encontro nesse dia para resolver a pendência.

O cobrador chegou ao local acompanhado de dois homens, que segundo informações do devedor, estariam armados e teriam ido ao local para executá-lo. Em resposta, o devedor atirou contra um dos homens e fugiu do local. Esse caso também está relacionado com compra e venda de automóveis no município de Guarapari.

Imagem da concessionária no dia do atentado.

Caso 4: atentado em fábrica

Um empresário de Guarapari envolvido com compra e venda de veículos teve o portão de sua empresa metralhado por pistoleiros. O atentado foi registrado por câmeras de segurança. Segundo informações apuradas, a motivação foi pressionar e intimidar o empresário a quitar dívidas, mas até o momento não existem suspeitos da ação. A PCES continua investigando o caso. Veja vídeo:

Caso 5: Empresário sofre atentado em Vitória

Nessa semana, uma tentativa de assassinato praticada por um pistoleiro contratado assustou comerciantes de Vitória. Nesse caso, um motociclista para em um posto de gasolina simulando que vai abastecer, em seguida desce da moto e dispara várias vezes contra um empresário que também é policial e estava dentro de uma caminhonete. A vítima desse caso também é proprietária de uma revenda de automóveis. Nossa fonte informou que o caso está em aberto e que pode ter relação com outro atentado ocorrido no Espírito Santo sem dar mais detalhes.

Elementos em comum

Até o momento, o denominador comum é o fato dos cinco atentados terem sido realizados por pistoleiros contratados. Nos cinco casos, as investigações permanecem abertas. Quatro dos cinco casos são relacionados com revenda de automóveis. Questionamos a Polícia Civil e a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) se existe alguma investigação sobre prática de pistolagem no Espírito Santo e se esses casos estão relacionados.

A Sesp informou que dispõe um levantamento sobre casos de pistoleiros e a PCES até a publicação desta matéria, não encaminhou uma resposta. Assim que retornarem, atualizamos a matéria.

banner lateral 300x300px 2

banner lateral 300x300px 2

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

banner lateral 300x300px 3