Página Inicial / Cidades / Rodoshopping Guarapari: antes da inauguração todos queriam se pronunciar. Em 2017, o silêncio é a resposta das principais autoridades municipais.

Rodoshopping Guarapari: antes da inauguração todos queriam se pronunciar. Em 2017, o silêncio é a resposta das principais autoridades municipais.

O portal Realidade Capixaba está realizando uma cobertura especial sobre o Rodoshopping Guarapari e os desdobramentos dessa obra que era um sonho da cidade e se transformou em um pesadelo para políticos e lideranças comunitárias.

Entenda o caso:

Foto: Em 2012, o prefeito Edson Magalhães e secretários municipais visitam terreno onde seria construído o Rodoshopping.
Em 2012, o prefeito Edson Magalhães e secretários municipais visitam terreno onde seria construído o Rodoshopping.

Promessa de campanha do então candidato Edson Magalhães em 2008 foi só em 2012, último ano do seu mandato, que o já prefeito Edson conseguiu anunciar que as obras começariam. Durante uma visita ao terreno escolhido, o prefeito prometia que a obra seria entregue em um ano, a tempo do verão de 2013. “Essa será uma conquista da cidade” disse Edson na época.

em-construcao

Em 2013, mesmo com as obras em andamento, ficou claro que o Rodoshopping não seria entregue a tempo dos turistas desfrutarem da comodidade no verão.

O Rodoshopping só foi inaugurado em 20 de setembro de 2015, e começou a operar em 1º de outubro de 2015. A expectativa inicial era de que 60 mil pessoas embarcassem por mês na rodoviária e que o faturamento mensal ultrapassasse os R$150 mil, com a tarifa de embarque, aluguel das 50 lojas e demais serviços oferecidos como: taxa de uso dos banheiros e venda de produtos.

A inauguração do Rodoshopping recebeu apoio de lideranças políticas e comunitárias que fizeram questão de prestigiar o evento em que a empresa Telavive apresentou o empreendimento na presença do então prefeito Orly Gomes, secretários municipais, vereadores e lideranças comunitárias e religiosas.

Rodoshopping: de sonho a pesadelo em 2 anos.
Rodoshopping: o sonho da população de Guarapari, se transformou em pesadelo.

Durante o evento de inauguração o vereador Wanderlei Astore se mostrou empolgado com o Rodoshopping:       “Essa é uma conquista da cidade.” Disse o vereador à época. O presidente da associação de moradores da localidade, Sr. Samuel, afirmou que “o Rodoshopping é um presente para toda a cidade e um orgulho para os moradores da nossa região”. O então prefeito Orly Gomes agradeceu aos empresários por concluírem a construção, mesmo em um período de crise, e parabenizou pela qualidade da obra entregue.

Veja quem esteve presente ao evento de inauguração:

sss ss s

O motivo de tanta empolgação com o Rodoshopping era porque finalmente a cidade possuía uma Rodoviária de qualidade. Até a inauguração, a cidade de Guarapari possuía quatro mini rodoviárias, administradas pelas empresas de ônibus e que causavam grande confusão aos turistas. “Antes tínhamos várias rodoviárias e quando um turista pedia informação tínhamos que saber para onde ele ia e só depois indicar qual rodoviária ele deveria usar. Sem falar que os locais eram sujos e perigosos.” Contou dona Lucia Maíra, 62 anos, comerciante no centro da cidade.

Durante a pesquisa para essa matéria, nossa equipe encontrou uma reportagem feita pelo portal G1 (http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/2012/02/telhado-desaba-e-rodoviaria-e-interditada-em-guarapari-es.html) que comprova as condições precárias das rodoviárias na época. Na matéria, o G1 retrata o desabamento do telhado de uma das rodoviárias de Guarapari que era administrada pela empresa Viação Itapemirim. Um ônibus da empresa colidiu com uma pilastra de sustentação do telhado que desabou com o impacto ferindo usuários.

Telhado desabou após ônibus bater em pilastra (Foto: Vinícius Baptista/TV Gazeta)
Telhado desabou após ônibus bater em pilastra (Foto: Vinícius Baptista/TV Gazeta)

Com a inauguração do Rodoshopping esses problemas terminaram. A Rodoviária de Guarapari é considerada uma das mais modernas e bonitas do país. “Eu nunca vi uma rodoviária tão bonita assim. Estou vindo de Belo Horizonte e lá a rodoviária é horrorosa. Com certeza essa rodoviária é um orgulho para a população daqui” disse o estudante de direito Thiago Freixo, que chegou essa semana para curtir o feriado em Guarapari.

O que o estudante Thiago não sabia é que uma parte da população estava preparando uma manifestação para o dia seguinte a sua chegada. “Não sabia. O que houve? Se não gostam dessa rodoviária podem mandar ela para Belo Horizonte que tenho certeza que lá todos vão gostar” disse Thiago.

Se os protestos contrários ao decreto assinado pelo prefeito Edson Magalhães confundem os visitantes, os moradores de Guarapari já se mostram cansados dessa polemica. “Não aguento mais esse assunto. O problema não é da rodoviária porque ela é linda. O problema é que o prefeito quer que os ônibus só parem lá e isso vai custar mais caro pra gente” desabafou o vendedor de picolé Serginho, que mora em Meaípe e frequenta a Praia do Morro para vender seus produtos.

O problema apresentado pelo vendedor Serginho é o principal fato de mudança no comportamento das lideranças políticas e comunitárias na cidade. O desgaste provocado pelo decreto que regulamenta o Rodoshopping e determina que os ônibus intermunicipais e interestaduais façam paradas exclusivas no Rodoshopping pegou a população de surpresa e foi tema da campanha eleitoral de 2016. São muitos os depoimentos reproduzidos pela imprensa de manifestantes reclamando que não foram consultados. Nossa equipe procurou nos arquivos públicos da prefeitura e da câmara municipal e encontrou registros de pelo menos 15 audiências públicas realizadas entre os anos de 2013 e 2016, abertas a população e em pelo menos três delas com participação do Ministério Público, vereadores, imprensa e lideranças comunitárias. Conforme mostra matéria exibida pela TV Guarapari em 6 de maio de 2016.

(http://tvguarapari.com/audiencia-publica-rodoshopping-3/)
(http://tvguarapari.com/audiencia-publica-rodoshopping-3/)

Depois dessa audiência, o presidente da Câmara de Vereadores Wanderlei Astore, que participou da inauguração, entrou com um questionamento na justiça contra o decreto, que tramitou e foi aprovado nas comissões da própria câmara.

Um ano depois da inauguração, a Câmara de Vereadores conseguiu suspender o decreto que determinava a parada exclusiva no Rodoshopping. Como reação, os responsáveis pelo Rodoshopping fecharam as portas alegando prejuízo.

http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/2016/09/construtora-decide-fechar-nova-rodoviaria-de-guarapari.html

Em carta aberta, a Câmara de Dirigentes Logistas (CDL) de Guarapari, se manisfestou sobre o fechamento do Rodoshopping:

http://www.cdlguarapari.com.br/index.php/noticias/825-carta-aberta-da-cdl-sobre-rodoshopping-guarapari.html

Carta aberta da CDL sobre RodoShopping Guarapari:

“O município de Guarapari depende imensamente do fluxo turístico; sempre foi um desejo da maioria dos guaraparienses que tivéssemos uma rodoviária apropriada para receber nossos visitantes, e recebemos algo que é até maior que o esperado, local adequado, estrutura que supera em muito a maioria das rodoviárias em nosso imenso país. Assim, lamentamos imensamente o iminente fechamento do RodoShopping Guarapari.” Câmara de Dirigentes Lojistas de Guarapari.

Reaberto antes da eleição municipal de 2016, o Rodoshopping opera com prejuízo financeiro desde sua inauguração. Com o decreto publicado pelo prefeito Edson Magalhães em junho de 2017, regulamentando as paradas de ônibus na cidade, o Rodoshopping voltou a ser assunto na cidade e parte da população organizou uma manifestação fechando a ponte de Guarapari na manhã de sexta, 16/06.

Outdoor em protesto ao decrreto
Outdoor em protesto ao decreto.

Novas manifestações estão sendo organizadas e os comentários nas redes sociais estão tirando o sono de muitos políticos. A todo instante surgem prints de conversas através da rede social WhatsApp. Uma delas entre um dos sócios do Rodoshopping e um secretário municipal onde questionam a legitimidade da manifestação e a quantidade de pessoas envolvidas provocou revolta em manifestantes.

Suposta conversa em grupo de Whatsapp revolta manifestantes contrários ao Rodoshopping
Suposta conversa em grupo de Whatsapp revolta manifestantes contrários ao Rodoshopping

Na manhã de hoje, sábado, 17, uma nova conversa de WhatsApp repercute na cidade. O presidente da câmara de vereadores, Wendel Lima, do mesmo partido do prefeito Edson Magalhães, PSD, em um grupo de conversa, postou uma mensagem enigmática sobre as noticias de que estaria evitando se manifestar sobre o Rodoshopping.

ssss

A nossa equipe tentou entrar em contato com o vereador para saber a opinião dele sobre o vazamento da conversa e sobre sua posição oficial sobre o Rodoshopping, mas não consegui falar com o vereador por se tratar de sábado e a câmara não funcionar. Na segunda feira nossa equipe vai ouvir os vereadores sobre essa polemica e procurar o presidente da câmara para ouvir seu posicionamento.

 

 

Reportagem, Joice Biane.

TekNow



Sobre Redação

Comentários

  1. Dinheiro público gasto sem planejamento adequado e sem ouvir a população. Esse é o resultado da incompetência dos administradores públicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display