Página Inicial / Fé e Paz / O papel da Igreja em tempos de crise

O papel da Igreja em tempos de crise

podemos-nos-apoiar-na-esperanca

Qual é o papel da Igreja em tempos de crise? A resposta não é fácil, mas é necessária.

Vivemos tempos difíceis. É crise política, econômica, social e moral por todos os lados. A cada segundo somos invadidos por notícias terríveis, preocupantes e quase inacreditáveis. O Ser humano está cada vez mais aparelhados com iPhones, tablets, notebooks, etc. Tudo para disfarçar o antigo medo da solidão. Tempo que caracteriza-se, antes de tudo, pelo desejo socialmente expandido da aquisição “do supérfluo”, do excedente, do luxo.  O contato via rede social tomou o lugar de boa parte das pessoas, cuja marca principal é a ausência de comprometimento. As relações se misturam e se condensam com laços momentâneos, frágeis e volúveis. Num mundo cada vez mais dinâmico, fluído e veloz. Seja real ou virtual.

Em tempos de Crise a Igreja deve ser a esperança do mundo, por intermédio de Jesus. A Igreja como corpo social precisa estar envolvida profundamente na situação social e política da Cidade. Podendo ser caracterizada pela ajuda caridosa e misericordiosa em favor aos oprimidos, mas caminha marcada também por obras de justiça com vistas à transformação dos homens e da sociedade. Assim, a fé em Jesus Cristo tem de se expressar em ter responsabilidade social. A fé não pode viver sem ideologia, porque as ideologias representam esforço dos homens para dar sentida às suas vidas. Ter a pretensão de manter contato apenas com as pessoas sem ocupar-se das ideologias que as condicionam é viver em individualismo irreal. É pretender permanecer entre uma comunidade fechada, formando um mundo teológico fechado.

Precisamos pensar que o papel da Igreja é tripartido, pois, somos chamados a proclamar a Missio Dei (A missão de Deus) no mundo. É justamente nesta dobradiça que devemos repensar o papel da igreja em tempos modernos. De fato, devemos ter uma teologia clara e bíblica que nutri e declara a Sola Scriptura (Somente as Escrituras). A fé no Cristo que nos salva pela sua maravilhosa graça deve ser vivida não somente no quadrante da igreja, mas na sociedade. O falecido Robson Cavalcanti denunciou o tripé cristão – casa, igreja, trabalho. Nós, cristãos evangélicos, devemos celebrar a nossa fé na sociedade em todas as suas dimensões. Não fomos chamados para ficarmos trancafiados num quadrante evangelical; fomos chamados para proclamar o nome de Cristo na sociedade como testemunha dele e como sal da terra e luz para esse mundo. Somos chamados para fora com o foco definido de proclamar Deus para essa sociedade através da Cruz de Cristo no poder do Espírito Santo.

Diante dos tempos de crise que vivemos a Igreja precisar ser um convite para os cansados e sobrecarregados. Que a crise que se abate sobre todos nós passe rápido. Vamos juntos sonhar, orar e trabalhar com seriedade e honestidade para ultrapassar os obstáculos. Em tempos de crise temos a oportunidade de ser a resposta. O papel da Igreja é ser a resposta de Deus para tanto sofrimento! A resposta para os sofrimentos da sociedade, somos nós! É um equívoco prometer o poder de Deus para resolver problemas sociais, por que isso isenta a igreja da sua responsabilidade de ser a resposta para o mundo. Viver para Deus, é viver para o outro. Somos chamados a se preocupar com as necessidades do próximo, isso é a Igreja de Cristo! O papel da Igreja em tempo de crises é ser igreja quando para os outros da igreja.



Sobre Redação

Comentários

  1. Que reflexão.Pastor Rafael,conhecendo sua história e seu trabalho não tenho dúvidas em afirmar que vc veio para marcar uma geração.parabéns pela bela reflexão.O mundo precisa ler e refletir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display