Página Inicial / Noticias / Professora denuncia estupro coletivo na Casa de Passagem em Guarapari

Professora denuncia estupro coletivo na Casa de Passagem em Guarapari

A equipe do Portal Realidade Capixaba recebeu uma denúncia de que uma menor de 16 anos que estava sob proteção e guarda da Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Guarapari teria sido vítima de um estupro coletivo praticado por quatro adolescentes.

O fato teria ocorrido na noite de sábado (23/09), dentro da Casa de Passagem 2, que fica no bairro Ipiranga, que abriga jovens de 12 a 17 anos, de ambos os sexos.

Ainda segundo nossa fonte, a menor chegou à escola, na manhã de segunda-feira (25/09) e relatou o ocorrido para a professora. O Conselho Tutelar foi acionado e compareceu à escola. A menor foi levada para realizar exame de corpo de delito em Vitória. O fato está sendo investigado em sigilo por envolver menores de idade.

Nossa equipe entrou em contato com o Conselho Tutelar de Guarapari que informou que casos envolvendo menores de idade não podem ser comentados. A coordenadora da Casa de Passagem disse que a informação não é verdadeira.  A direção da escola também não confirmou o caso.

Nossa equipe está apurando o caso.

Onde denunciar casos de estupro:
Ciodes: 190
Disque-Denúncia: 181
Plantão Especializado da Mulher (PEM): 3323-4045
Delegacia de Proteçãoà Criança e ao Adolescente (DPCA): 3137-1917
Conselho Tutelar de Vitória: 3132-7058/7059 (Centro) e 3315-4983 (Maruípe)
Conselho Tutelar de Vila Velha: 3388-4271 / 3239-4316
Conselho Tutelar de Cariacica: 3284-4929 / 3346-6327 / 3346-6314 / 3388-1377                                                                                                                                              Conselho Tutelas de Guarapari: 3262-9291
Conselho Tutelar da Serra: 3328-7128 / 3328-1899 / 3291-4854
Programa de Atendimento às Vítimas de ViolênciaSexual (Pavivis) : 3335-7184, das 8h às 17 h.

TekNow



Sobre Redação

2 Comentarios

  1. isso procede?, pq não denunciam imediatamente a quem de direito, existem provas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display