Página Inicial / Noticias / Parlamento Forte na disputa pela prefeitura em 2020?

Parlamento Forte na disputa pela prefeitura em 2020?

Política em um minuto – 14/04/2019

As eleições municipais de 2020 estão movimentando o cenário político de Guarapari. Presidentes de partidos com representação na Câmara entendem que o cenário está aberto e que o próximo prefeito pode ser eleito com a menor votação proporcional da história política da cidade. Na disputa de 2016, Edson Magalhães (PSDB) se elegeu com mais de 27 mil votos, mas o prefeito está desgastado e, por isso, se especula que Edson teria no máximo um capital político de 15 mil votos. Para esse cálculo é observada a votação que o candidato de Edson a deputado estadual recebeu. O vereador Wendel Lima (PTB) obteve pouco mais de 8 mil votos em Guarapari.

Carlos Von (Avante), que também recebeu mais de 27 mil votos para prefeito em 2016 e é considerado favorito na disputa à prefeitura, obteve uma votação com pouco mais de 12 mil votos para deputado em 2018 e Gedson Merízio (PSB), que também é cotado para disputar a prefeitura em 2020, recebeu pouco mais de 10 mil votos para deputado Estadual em 2018.

Nas eleições municipais de 2016, aproximadamente, 62 mil eleitores compareceram às urnas em Guarapari. Isso significa que se mais nomes surgirem na disputa à prefeitura de Guarapari, o próximo prefeito pode ser eleito com menos de 20 mil votos.

Cenário ajuda Edson e possibilita surgimento de nova liderança

“Aliados” do deputado Carlos Von argumentam que a divisão de votos da oposição ao prefeito favorece Edson Magalhães. O problema é que esses “aliados” só aceitam unir a oposição se for para Carlos Von ser o prefeito. Se for para apoiar outro nome eles preferem que Edson se reeleja. Com esse discurso, esses “aliados” estão provocando uma divisão maior na oposição e novos nomes começam a surgir.

Um vereador ou vereadora na disputa pela prefeitura

Em discurso na Câmara de Vereadores, Fernanda Mazzelli (PSD) anunciou que vai colocar seu nome à disposição do partido para a disputa pela prefeitura. O anúncio veio na mesma semana em que a executiva municipal do PSD divulgou que será oposição a Edson na próxima eleição. Mas, Fernanda não é a única parlamentar que cogita disputar a prefeitura. Outros vereadores também sinalizam que poderiam disputar. Aliados de Oziel (PSC), Grijó (PDT), Thiago (PMDB) e Dr. Rogério (PSB) já conversam nos bastidores sobre a possibilidade de um vereador disputar a prefeitura.

As conversas ainda são iniciais, mas a conta é simples: se os vereadores que o compõem o “Parlamento Forte” conseguirem se manter unidos, o capital político do grupo é de 11.523 votos, considerando a soma dos votos que tiveram na eleição de 2016.

O “Parlamento Forte” poderia formar uma chapa com um vereador para prefeito e outro vereador na vaga de vice-prefeito ou utilizar a vaga de vice para atrair outra liderança e fortalecer a disputa. Uma coisa é certa: quem pensa que algum vereador está de olho na vaga de vice de outra chapa vai se surpreender. Unidos, o “Parlamento Forte” já conquistou uma importante vitória sobre o prefeito Edson Magalhães ao eleger Enis Gordin para presidente da Câmara. Com a divisão que existe na oposição ao prefeito e com a baixa popularidade de Edson Magalhães, se o grupo se mantiver unido a chance de conquistar a prefeitura em 2020 é grande.

Edson, Von e Gedson ignoram a força do parlamento

Parece que os três principais candidatos a prefeito de Guarapari em 2020 esqueceram dos vereadores. Enquanto seus cabos eleitorais travam duras discussões nas redes sociais, Edson, Von e Gedson esqueceram de prestigiar os vereadores que formam o “Parlamento Forte”. Existem sim conversas individuais, mas hoje parece difícil que o grupo de 11 vereadores apoie um único nome a prefeito, a não ser que esse candidato seja um vereador.

 

 

 

 

 



Sobre Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display