Página Inicial / Noticias / Edson Magalhães e a “oposição babaca”

Edson Magalhães e a “oposição babaca”

Opinião

O prefeito de Guarapari, Edson Magalhães, caminha para um final de mandato melancólico marcado por práticas populistas. Desesperado com a baixa popularidade e com o fato de não ser mais respeitado como líder popular, o prefeito de Guarapari reage como um “animal acuado” sentindo o fim.

O “ponto alto” e triste do desespero de Magalhães foi o lamentável discurso proferido em frente ao prédio em obra que insiste em dizer que será um hospital, cercado de uma claque de causar inveja ao velho Chacrinha. Edson Magalhães xingou, berrou, ofendeu, acusou e ameaçou o que chamou de “oposição babaca” lembrando a postura de velhos ditadores sul-americanos que inconformados com a chegada dos novos tempos se comportavam como crianças mimadas que não aceitam ouvir um não.

Enquanto isso, a justiça permite manobras jurídicas que o possibilitam continuar participando das próximas eleições, o Ministério Público se conforma e a Câmara se sente impotente sem poder apreciar as contas do prefeito que já foram reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado.

Edson Magalhães caminha para ter sua maior derrota

No meio político de Guarapari, a sensação é que Edson sofrerá nas urnas um não capaz de deixá-lo com “cara de babaca”. Seus aliados se desesperam com a iminente derrota nas urnas, o que o levaria a uma mudança radical na equipe de primeiro e segundo escalões da prefeitura.

Como ratos que abandonam o navio, alguns aliados já perceberam que “as ruas” não querem mais acreditar nas promessas de Magalhães e começaram a se aproximar da “oposição babaca”.  Se Edson fosse o líder que acredita ser e conseguisse controlar toda a máquina publica, como acredita controlar, ia perceber que caminha para ficar sozinho, tendo ao seu lado apenas a família Meriguete, liderados por sua namorada que recheou a prefeitura com parentes e parentes dos parentes.

Nepotismo? Se for, será o menor erro de uma gestão que gasta o que não tem, promete o que não pode entregar e contrata sem critérios técnicos parentes que ocupam cargos essenciais ao bom funcionamento da máquina pública.

Em um mundo onde não existem “babacas” seria legal os secretários e subsecretários apresentarem seus currículos com as devidas capacidades técnicas comprovadas e necessárias para o exercício das funções que ocupam.

Da próxima vez que for berrar, por que não colocar ao seu lado no palanque, para uma foto final, seus secretários e subsecretários e apresente o currículo de cada servidor público do primeiro escalão da prefeitura? Nome, sobrenome, formação acadêmica e experiência profissional.  Se fizer, Edson corre o risco de descobrir que quem não for Meriguete, caminha para ser “oposição babaca”.



Sobre Redação

Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *