Página Inicial / Noticias / DNA Hartunguista em todas as campanhas, menos na do PSOL

DNA Hartunguista em todas as campanhas, menos na do PSOL

Política em 1 minuto – 08/08/2018

Concluídas as convenções e com as atas devidamente fechadas, o cenário já pode ser analisado com um pouco mais de clareza. As coligações proporcionais provocaram discussões e embates até o último minuto. Nas últimas semanas tivemos uma mudança frenética no cenário eleitoral do Espírito Santo.

Paulo Hartung desistiu de disputar a reeleição e por pouco não desistiu de desistir. Amaro Neto aceitou ser candidato ao Governo do grupo de Paulo Hartung, depois desistiu e resolveu disputar o Senado na coligação de Rose de Freitas. Quando parecia que o cenário estava acomodado, Amaro foi rifado da disputa ao senado e acabou candidato a deputado federal na coligação de Manato, que por sua vez, rifou Foresti da disputa ao Governo. Surpreso ao ser informado pela imprensa de que não seria candidato ao governo,o Tenente-coronel Foresti resolveu sair do partido de Manato e ser candidato a deputado federal na coligação de Renato Casagrande, que também abrigou em sua campanha aliados de Paulo Hartung, como os tucanos Ricardo Ferraço, César Colnago e Vandinho Leite.

Quem também terminou na coligação de Casagrande foi o PSD de José Carlinhos, Enivaldo dos Anjos e Neucimar Fraga. O PSD, que ensaiou uma aliança com o PTB para apoiar Aridelmo ao Governo, estava no palanque de Rose de Freitas até domingo à noite, mas resolveu migrar para Casagrande depois de um desentendimento na formação da coligação para deputado estadual. Rose também perdeu seu mais forte candidato a deputado estadual, o ex-vereador de Cariacica Avelina, que precisou desistir da candidatura depois que sua mulher, a também ex-vereadora de Cariacica, Jaqueline, foi escolhida por Casagrande para ser vice na sua chapa.

Jaqueline ficou com a vaga que todos acreditavam seria da Lenise Loureiro do PPS, que pelo visto também foi rifada. Outra mulher que também foi indicada na última hora foi a candidata a governadora pelo PT, Jackeline Rocha que diferente de Jaqueline Moraes, foi escolhida por falta de opções. As candidaturas de Jaqueline como vice de Casagrande e Jackeline candidata ao Governo pelo PT representaram um ‘baque’ na estratégia da senadora Rose de Freitas, que tinha em seu discurso a mensagem de ser a única mulher candidata majoritária nas próximas eleições.

Quem esteve fora dessa confusão o tempo todo e não recebeu apoio de nenhum partido da base de Hartung foi o PSOL, que demonstrou coerência com o discurso e lançou André Moreira ao governo.

O PSB recebeu o apoio do PSDB e do PSD. O Podemos ficou com o MDB. O PT ficou com ele mesmo. O PTB ficou com o PMB. O PSL recebeu o PRB. No final das contas, o eleitor pode ficar com a impressão de que vença quem vencer, o DNA Hartunguista estará presente no vencedor, menos na campanha do PSOL.

 

Marcelo Paranhos, editor do Portal Realidade Capixaba

 

 

 

 

08/08/2018

 

 

 
__________________________________________________________________________


Transparência-660x95

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *