Página Inicial / Cidades / Coluna de olho na rua com Ricardo Rios: Eleição da Câmara um Jogo de Cartas Marcadas

Coluna de olho na rua com Ricardo Rios: Eleição da Câmara um Jogo de Cartas Marcadas

A expressão que intitula a coluna é usada quando se sabe o resultado de um acontecimento antes mesmo dele acontecer. Os fatos em relação à eleição da Presidência Câmara de Guarapari se aceleraram nas últimas horas, pois, até a última coluna publicada os vereadores se apresentavam em dúvida quanto à escolha do presidente. Até aquele momento tínhamos quatro candidatos, em minha ótica, contudo, rapidamente, se firmaram apenas dois candidatos a presidente, Enis Gordinho (PRB) e Wendel Lima (PTB), apesar deste não confirmar sua candidatura. Wendel Lima (PTB) apesar de um sorriso fácil, não agradou a todos e foi motivo de diversas reclamações. Dentre elas a mais relevante que podemos citar foi a nomeação de lideranças políticas adversárias de alguns vereadores.

Quanto à gestão do presidente só lhe restou um discurso, que foi sobre a câmara transparente. No entanto, isso não o ajudou muito diante do último resultado das urnas. Vários foram os desgastes da gestão entre eles citamos o evento da infeliz ideia de tentativa de compra das cadeiras, que resultou em anulação da licitação e processos judiciais. Talvez essas sejam as razões do presidente ter escolhido dois novatos imaculados na câmara para serem seus escudeiros. São eles Zé Preto (Podemos) e Kamila Rocha (DEM), sendo que esta ocupará o lugar de Oziel de Sousa (PSC) – 1º Secretário, na composição da nova Mesa Diretora. É provável que essa seja a razão de seu total empanho na formação da chapa que será presidida por Wendel. Além disso, os espaços políticos desses articuladores serão ampliados, logicamente que outros perderão. Apesar da aparência de divisão, o grupo do prefeito se uniu em torno do nome do atual presidente, mesmo diante de tantos fatores contradizentes. No lado alternativo se apresenta Enis Gordin (PRB) que foi obrigado a dedicar boa parte de seu mandato a se defender do ex-vereador Dantas (PEN) que pediu seu mandato na justiça. Aliás, ação que se findou diante da decisão do TSE em manter a sentença de primeiro grau que mandou arquivar o processo.

O vereador Enis tem larga experiência em gestão de colegiado já que há anos dirige o Sindicato dos Rodoviários da Região Sul, um dos maiores do estado. Segundo os dirigentes sindicais consultados, Enis Gordin “trabalha ouvindo o que eles têm a dizer e todas as decisões são tomadas em conjunto, o que faz permanecer a união entre eles”. Na câmara manteve uma posição de independência o que lhe permitiu transitar bem entre os vereadores, tanto que promoveu, com sucesso, alguns encontros entre eles. Além disto, Enis Gordin (PRB) mantém boa relação com o prefeito Edson Magalhães e é amigo político de Ferração e Norma Ayub, o que faz dele um candidato não rejeitado pelo prefeito, podendo isso lhe render votos no dia da eleição. Enis tem os votos confirmados de 05 (cinco) vereadores, ou seja, tem seis votos computando o seu e tem a difícil missão de conquistar mais 03 (três) votos nesse jogo de cartas marcadas que parece ganho pelo atual presidente.

ricardo rios

Ricardo Rios é advogado e contador e trabalhou no Tribunal de Contas e na Ales.

 

 

 

 

 

 

O conteúdo do texto é exclusivo e de responsabilidade do autor.

TekNow



Sobre Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display