Página Inicial / Direito / ‘Caixa-preta’ Lorenzutti: Prefeito afasta fiscal que queria investigar empresa de ônibus

‘Caixa-preta’ Lorenzutti: Prefeito afasta fiscal que queria investigar empresa de ônibus

caixa preta lorenzutti (1)

O fiscal do contrato de concessão número 106/2016 firmado entre a Prefeitura de Guarapari e a empresa Lorenzutti foi afastado de suas atividades depois de ter encaminhado ao gabinete do prefeito Edson Magalhães um requerimento solicitando que seja decretada uma auditoria e posteriormente uma intervenção na concessão. Segundo o requerimento 001/2018, que a equipe do Portal Realidade Capixaba teve acesso com exclusividade, o supervisor de Transporte  apontou 23 indícios de irregularidades durante o exercício da concessão.

caixa preta lorenzutti (5)

Depois de encaminhar o requerimento solicitando auditoria e intervenção, em 26/04/2018, o servidor Antônio Henrique de Barros, que exercia a função de supervisor de Transporte, foi retirado de suas funções e transferido para o setor de videomonitoramento.

 caixa preta lorenzutti (2)

caixa preta lorenzutti (3)

Nossa equipe constatou que já existe um pedido de investigação desse contrato de concessão feito pelo vereador Thiago Parterlini ao Ministério Público de Contas. Ao tomar conhecimento dos fatos apresentados nessa matéria, o vereador Thiago Parterlini informou que vai solicitar à prefeitura informações sobre os fatos divulgados. O vereador também informou que já solicitou à prefeitura cópia dos relatórios enviados pela empresa Lorenzutti nos quais constam quantitativos dos ônibus que prestam serviços à população de Guarapari.

O vereador Lennon Monjardim, presidente da Comissão de Serviços, Obras Públicas e Fiscalização ao tomar conhecimento do pedido de auditoria feito pelo fiscal do contrato, disse que vai solicitar informações à prefeitura. “Vou consultar os integrantes da comissão, mas posso adiantar que cobrarei da prefeitura explicações sobre o pedido de auditoria no contrato e sobre os motivos do afastamento do servidor da função de fiscal do contrato”, disse o vereador.

Nossa equipe tentou contato com o servidor e com a secretaria de Fiscalização da prefeitura de Guarapari para esclarecer os fatos, mas não conseguiu retorno sobre os motivos que levaram ao afastamento do servidor.



Sobre Stephane Figueiredo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *